São estas as dez profissões que a Europa mais quer

Publicado por: Miken
25/07/2022 01:20 PM
Exibições: 9

Assistente de cozinha foi a profissão que mais cresceu na União Europeia no último ano. Agricultura, floresta e pescas foram os setores que mais perderam.

 

Quando pensamos numa carreira de sucesso a seguir, o exemplo que se calhar vem mais rapidamente à cabeça são as engenharias ou a medicina. A realidade é que há outras profissões em rápida ascensão na União Europeia e a que mais cresceu não é nenhum dos ofícios referidos anteriormente.

 

Segundo os mais recentes dados do Eurostat, o primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2021, assistente de cozinha foi a profissão que mais cresceu na UE.

 

Mais de 1,4 milhões de profissionais trabalhavam como assistentes de cozinha no final do primeiro trimestre de ano. No período homólogo, havia apenas 1,1 milhões destes trabalhadores nos Estados-membros da União Europeia. Isto equivale a um crescimento de 25,1%.

 

Cinco das dez profissões listadas pelo Eurostat como sendo as de maior crescimento homólogo são profissões técnicas, realça o Expresso.

 

Seguem-se na lista os trabalhadores de serviços pessoais (+15,6%); profissionais das tecnologias de informação (+9,6%); trabalhadores da área jurídica, social e cultural (+9,4%); profissionais de hotelaria, comércio e retalho (+9,1%); gestores e administradores de empresas (+7,4%); artesãos e tipógrafos (+6,7%); técnicos de informação e comunicação (+5,9%); profissionais de engenharia e ciências (+5,7%); e gestores de produção e serviços especializados (+5,3%).

 

Além dos assistentes de cozinha, o destaque vai também para os trabalhadores de serviços pessoais, que abrangem desde cabeleireiros e esteticistas a motoristas e empregadas domésticas.

 

Os valores dos profissionais da hotelaria, comércio e retalho poderiam ser ainda maiores, caso não houvesse falta de mão-de-obra disponível, destaca o Expresso.

 

Em sentido contrário, a agricultura, floresta e pescas foi a área que mais trabalhadores perdeu na União Europeia, no mesmo período. O setor contabiliza agora 3,3 milhões de profissionais — quase menos 13% face ao ano passado.

 

Originalmente Publicado por: Planeta ZAP

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar