Teste nuclear norte-coreano terá “resposta sem precedentes”

Publicado por: Miken
27/10/2022 09:51 AM
Exibições: 117
Kim Jong-un em frente a modelo de plataforma lançadora de míssil ICBM Hwasong-15 da Coreia do Norte (montagem)
Kim Jong-un em frente a modelo de plataforma lançadora de míssil ICBM Hwasong-15 da Coreia do Norte (montagem)

Os EUA, Japão e Coreia do Sul avisaram esta quarta-feira Pyongyang que se avançar com um teste nuclear esse ato resultará numa “resposta forte sem precedentes”.

 

Na sequência de conversações em Tóquio, responsáveis da diplomacia dos três países deixaram claro o seu compromisso de reforçar os esforços de dissuasão na região.

 

“Acordámos em reforçar ainda mais a cooperação (…) para que a Coreia do Norte ponha imediatamente termo às suas atividades ilegais e retome as conversações de desnuclearização”, disse o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Sul, Cho Hyun-dong.

 

“Os três países concordaram com a necessidade de uma resposta forte sem precedentes se a Coreia do Norte conduzir o seu sétimo ensaio nuclear”, sublinhou.


Seul e Washington avisaram repetidamente que Pyongyang poderia estar prestes a realizar outro ensaio nuclear, pela primeira vez desde 2017, após uma série de lançamentos de mísseis balísticos nas últimas semanas.

 

Um míssil sobrevoou o Japão no mês passado e a Coreia do Norte afirmou ter realizado exercícios nucleares táticos.

 

“Todos estes comportamentos são perigosos e profundamente desestabilizadores”, disse a secretária de Estado-adjunta dos EUA, Wendy Sherman, exortando a Coreia do Norte a “abster-se de mais provocações”.

 

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros japonês, Takeo Mori, afirmou que “a intensificação das atividades nucleares e de mísseis da Coreia do Norte (…) é um desafio claro e sério para a comunidade internacional”.

 

Os três países concordaram em “reforçar a dissuasão na nossa região com vista à desnuclearização da Coreia do Norte”, acrescentou.


Pela primeira vez desde que a Coreia do Norte começou a testar armas nucleares em 2006, a China e a Rússia vetaram um esforço liderado pelos EUA por sanções adicionais do Conselho de Segurança.

 

A Coreia do Norte tem vindo a realizar testes de armas a um ritmo sem precedentes, disparando mais de duas dúzias de mísseis balísticos este ano.

 

Na semana passada, Pyongyang disparou centenas de projéteis de artilharia a partir da sua costa, naquilo que chamou de grave aviso à Coreia do Sul.

 

Em setembro, os EUA realizaram exercícios militares conjuntos com as forças sul-coreanas em resposta a um teste de míssil balístico norte-coreano. Segundo a Reuters, este foi o primeiro exercício militar conjunto envolvendo um porta-aviões dos EUA desde 2017.

 

Com informações do: Planeta ZAP // Lusa

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar